A Garden Route, ou Rota Jardim, é uma das grandes atrações da África do Sul. 

Com aproximadamente 805 km de distância, ela vai de Cape Town a Port Elizabeth, e abriga várias atrações super famosas do país, como Knysna e Hermanus.

Para quem possui poucos dias de viagem, o melhor é fazer metade da rota. Já para quem tem mais flexibilidade com tempo, é possível completar toda a rota em mais ou menos 10 dias (ida e volta).

O self-drive é a opção mais comum, por trazer independência e flexibilidade. Mas para quem não quer dirigir, é possível reservar um serviço local de transfer ou contratar o tour de alguma agência.

Vamos falar mais sobre cada uma dessas opções, mas antes, você precisa entender a rota e as suas atrações:

1. CAPE TOWN > HERMANUS (121 KM)

Hermanus é uma cidade litorânea que ganhou fama pela observação de baleias. A chamada “estação das baleias”, onde é mais provável que você aviste os animais, acontece entre os meses de julho e novembro.

Além disso, a cidade é extremamente charmosa e, por isso, muitos viajantes aproveitam para passar uma noite por lá.

2. ​HERMANUS > MOSSEL BAY E GEORGE (351 KM)

ADICIONAL: CAPE AGULHAS ​(128 KM DE HERMANUS) 

Parar em Cape Agulhas, Mossel Bay ou George Town é opcional para quem faz a Garden route. 

Cape Agulhas: apesar de não ser famoso como o Cabo da Boa Esperança, ele é – literalmente – o extremo sul do continente africano. É nele que os oceanos Atlântico e Índico se encontram. Por isso, pode ser uma parada interessante para quem deseja ter a sensação de chegar no ‘fim’. 

Mossel Bay: esse é um destino bastante visitado pelos sul-africanos. As atrações mais populares são as suas lindas praias, como a Santos Beach, além do Museu Bartolomeu Dias. 

Se você gosta de história pode fazer uma parada para visitá-lo! Por lá, você vai encontrar a trajetória deste navegador português que dobrou o Cabo da Boa Esperança e posteriormente descansou na região de Mossel Bay, convertendo um carvalho na primeira caixa de correio transoceânica. Interessante, né?

Um dos destaques do museu, é a réplica de sua caravela.

George Town: a cidade é o centro administrativo e comercial da Garden Route. Com um ar bem charmoso, ela também possui muitas atrações para quem gosta de história.

3. GEORGE TOWN > KNYSNA ​(62,5 KM)

Se você está pesquisando sobre a Garden Route, provavelmente já leu sobre Knysna. A cidade possui várias atrações e é parada obrigatória!

De lá, é super fácil chegar em vários programas que recomendamos, como:

  • Plettenberg Bay: uma cidadezinha que mistura os ares de praia e campo. Você vai encontrar atrações pra ficar bem perto da natureza e também pode pular de paraquedas. 
  • Knysna Elephant Park: essa é uma das paradas mais conhecidas da Garden Route.  Neste santuário, você pode caminhar lado a lado com elefantes e também alimentá-los. 
  • Tsitsikamma: o Tsitsikamma National Park é conhecido como o jardim da Garden Route. A fama é porque o parque tem paisagens de tirar o fôlego e é rodeado por florestas, de frente para Oceano Índico. Quem curte fotografia de paisagens, aventura e trilhas vai sair deste lugar com cliques maravilhosos!
  • Bungee Jump – Face Adrenalin: pra quem gosta de adrenalina e de uma boa aventura, pular do maior bungee jump em ponte do mundo é algo imperdível. A empresa que opera os saltos tem mais de 25 anos de mercado e uma reputação impecável: nunca teve um acidente sequer. 
  • Bloukrans Bridge: é a ponte em que acontece o bungee jump. Mesmo que você não vá pular, uma passada por lá pode valer à pena! 
  • Monkeyland: como o próprio nome já diz, o Monkeyland Primate Sanctuary é um santuário de macacos, com uma grande variedade! São aproximadamente 500 primatas vivendo juntos em um pedacinho da selva.
  • Birds of Eden: simplesmente o maior aviário e santuário de pássaros do mundo! Prepare-se para conhecer espécies que você nunca imaginou existirem! 
  • Junkani Wildlife Sanctuary: interessante para as pessoas se conscientizarem da crueldade que ainda acontece com a nossa natureza. O parque resgata animais selvagens de todo tipo de situações de maus tratos. 

Nota: não recomendamos nenhuma atração que tenha contato direto com animais selvagens. 

4. KNYSNA > JEFFREY’S BAY​ (193 KM)​

​Jeffreys Bay ou J-Bay para os íntimos (rs) é parada obrigatória para os surfistas ou para aqueles que desejam fazer umas comprinhas nas lojas de fábrica das grandes marcas de surf.

O local é mundialmente famoso por abrigar campeonatos internacionais de surf e por ter as melhores ondas de direita do mundo. 

Uma característica interessante de J-bay é que a região é bem simples, diferente de Plettenberg Bay.

5. JEFFREY’S BAY > PORT ELIZABETH ​(83,5 KM)

​Port Elizabeth é uma das maiores cidades do país. Geralmente, essa é a região de onde as pessoas começam ou terminam a Garden Route. Vale uma rápida parada para sentir a vibração local antes de seguir viagem. 

Uma atração bem famosa é o self-drive safari no Addo National Park, conhecido por possuir uma grande população de elefantes. 

Garden Route: como fazer?

Alugando carro: fazer a Garden Route de carro é uma excelente opção para quem sabe dirigir. Muitos ficam com receio da mão inglesa, mas depois de alguns kms você já começa a se adaptar. 

Uma boa dica é optar por alugar carros automáticos. Não ter que passar a marcha com a mão esquerda faz bastante diferença!

Além disso, com o carro você ganha autonomia para parar apenas nos pontos que desejar, fazendo o seu próprio roteiro com total independência. Caso esteja com mais pessoas para dividir o valor do aluguel, o custo x benefício é excelente!  

Para conferir as melhores opções de aluguel de carro em Cape Town, é só clicar aqui! 

Transfer privado: se você não quer mesmo dirigir ou ainda não tem habilitação, mas quer montar um roteiro personalizado, a melhor opção é contratar os serviços de um transfer/guia privado. 

É possível encontrar, inclusive, alguns que falam português por serem de países africanos que também tem essa língua nativa, como Moçambique. 

Tour com agência: para quem não quer se preocupar com nada e também não faz questão de seguir um roteiro totalmente personalizado, indicamos os pacotes da Hot Spots

Caso escolha essa opção, fala com a gente! Eles são nossos parceiros e conseguimos um descontinho pra você 😉

Garden Route: qual o tempo ideal? 

Neste artigo, percorremos os seguintes pontos da Garden Route:

Para conseguir encaixar o itinerário acima durante o seu período de viagem, é preciso levar alguns pontos em consideração:

  • Para fazer a rota completa, indicamos que você separe 10 dias no seu roteiro. Isso para conseguir ir em todas as atrações sem correria e aproveitando bastante o que cada lugar tem para oferecer!
  • Para quem tem poucos dias, a sugestão ir até Knysna e depois retornar para Cape Town. Assim, é possível encaixar a programação de sexta a domingo, por exemplo. 
  • ​Esse mesmo roteiro pode ser feito no sentido inverso, começando por Port Elizabeth e terminando em Cape Town.

Gostou das nossas dicas sobre a Garden Route? Caso tenha ficado com alguma dúvida, é só deixar nos comentários! 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *